Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Senhora Dança? A Mandy pelas danças da vida.

Um blog para todas as mulheres depois dos “entas” . Mulheres que, na plenitude das suas vidas, desejam celebrar a liberdade de assumirem a sua idade, as suas rugas, os seus cabelos brancos e que querem ser felizes

A Senhora Dança? A Mandy pelas danças da vida.

Ter | 12.12.17

Não mudei, apenas amadureci

 Já tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso. Já me decepcionei com algumas pessoas, mas também já decepcionei alguém.Já abracei para proteger e ri quando não podia. Já fiz amigos eternos. Já amei e fui amada; mas também já fui rejeitada. Já fui amada e não soube amar.Já gritei e pulei de alegria. Já vivi de amor e juras eternas, mas também já quebrei muitos juramentos.Já chorei a ouvir música e a ver (...)
Sex | 08.12.17

O que é a espiritualidade feminina?

 Círculo de pedra de Stonehenge. Foto: Andrew Testa/The New York Há uns 15 anos (provavelmente mais, o tempo da memória nem sempre acompanha os roteiros celestes), um amigo deu-me um livro: The Crone,  woman of age, wisdom and power (ou  A anciã, uma mulher de idade, sabedoria e poder), da escritora americana Bárbara Walker. Por coincidência ou por artes outras, este livro já chegou às minhas mãos velho, porque, na verdade, foi achado dentro de uma caixa, num desses dias em (...)
Seg | 04.12.17

SINTO A FALTA DE TER MÃE, SINTO A FALTA DE SER FILHA

Dizem que quando um filho nasce, nasce também uma mãe.O mesmo acontece quando uma mãe morre, morre um filho também. No ano de 1997 já não comemorei o Dia da Mãe.Vem isto a propósito de um texto que li, faz tempo, com o qual me identifiquei. Na realidade, não há ninguém de quem eu sinta mais saudade do que da minha mãe, que partiu no dia 5 de Abril de 1997, numa madrugada de um sábado triste. Ficou a saudade. Ficou a certeza de que, com ela, foi uma grande parte de mim, e, (...)
Sab | 25.11.17

SOBRAS

Eu já fui tanta coisa. Fui artista sem plateia. Palhaça sem fazer ninguém sorrir. Professora sem aluno. Errante sem caminho. Perdida sem direcção. Malabarista na estrada.Costureira de sentimentos rasgados. Menina sem inocência. Menina a imitar gente grande. Doutora sem diploma. Artesã sem criatividade. Pintora de ilusões. Contadora de histórias sem pés nem cabeça. Passarinho sem asas para voar. Borboleta no casulo.Já fui grande no coração. Pequena na fragilidade. Cantora sem (...)
Qui | 23.11.17

A falsa liberdade e a Síndrome do “TER DE” - "Eu tenho de fazer o que se espera de mim. Tenho de ambicionar esses bens, esse status, esse modo de viver – ...

A Síndrome do "TER DE" é uma manifestação típica do nosso tempo, contagiosa e difícil de curar porque se alimenta da nossa fragilidade, do quanto somos impressionáveis, e da força do espírito de rebanho que nos condiciona a seguir os outros. Eu tenho de fazer o que se espera de mim. Tenho de ambicionar esses bens, esse status, esse modo de viver – ou serei diferente, e estarei fora.Temos muito mais opções agora do que há alguns anos atrás, as possibilidades que se abrem são (...)
Dom | 19.11.17

 “Tenho de agradecer sempre por estar viva. Tenho demasiados amigos que estão doentes ou morreram, e eu estou aqui. Não posso queixar-me” Meryl Streep

 Ultimamente tenho  reflectido muito sobre a maturidade, esta que é a derradeira  fase da nossa existência. Sempre fui contra a expressão “melhor idade”. Na verdade, achava ridículo chamar a esta etapa da vida  a melhor de todas. Mas o que tenho descoberto  é que, em vários aspectos, ela é realmente melhor. Por exemplo, nunca me senti tão livre. Nunca a opinião alheia sobre mim foi tão “desimportante” como agora. Nesta altura, praticamente só faço o que quero. E (...)
Dom | 19.11.17

Eu não dei por esta mudança

Eu não tinha este coração que nem se mostra.Eu não dei por esta mudança,tão simples, tão certa, tão fácil:Em que espelho ficou perdida a minha face? [Cecília Meireles] Arte : Pintura de Norman Rockwell (1894 - 1978) pintor e ilustrador norte americano. Normen Rockwell lustrou 323 da revista The Saturday Evening Post .
Sab | 11.11.17

Não se desiste do que se quer, desiste-se do que dói!

 Há alguns anos, vivendo uma relação conturbada, cheia de altos e baixos e muito desgastante, desisti do que julgava ser um grande amor.É claro que sofri durante algum tempo, mas descobri que de vez em quando é melhor cortar pela raiz do que carregar uma vida inteira de sofrimento.Desistir  - de alguém, de alguma situação, de algum sonho ou plano-  é uma das decisões mais difíceis de se tomar, pois é um pacto que se  faz com a razão, com a necessidade de seguir em frente (...)
Dom | 15.10.17

Porque é tão difícil escapar de uma situação de maus-tratos?

Infelizmente, os maus-tratos estão muito presentes no nosso dia a dia. Diariamente sabemos de notícias de mulheres assassinadas às mãos dos seus parceiros ou ex-parceiros. Nalguns casos, o agressor procurou-a ou encontrou-a, mesmo que não estivessem juntos. Mas também há vezes em que a vítima se encontra com essa pessoa diversas vezes, ou pode ser que nunca tenha deixado o relacionamento. Afinal, porque é tão difícil escapar de uma situação de maus-tratos?Para muitas pessoas (...)
Qui | 12.10.17

Talvez devêssemos usar aquele chapéu violeta mais cedo!

Aos 3 anos:Ela olha pra si mesma e vê uma rainha.Aos 8 anos:Ela olha para si e vê a Cinderela.Aos 15 anos:Ela olha e vê uma freira horrorosa.Aos 20 anos:Ela olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, decide sair mas, vai sofrendo.Aos 30 anos:Ela olha pra si mesma e vê muito gorda, muito magra, muito alta, muitobaixa, muito liso muito encaracolado, mas decide que agora não tem tempo pra consertar então vai sair assim mesmo.Aos 40 anos: